Flávia Junqueira: lugares gaúchos com história. 
por Paulo Herkhenhoff

Flávia Junqueira adota balões de encher como figura de estilo para mover seus símbolos na natureza e nos monumentos da cultura. Sua estratégia é a inscrição crítica de sua obra como desafios e armadilhas contra preconceitos e leituras superficiais da imagem. Festivos balões parecem apelar para a infância ingênua; quem não capturar as notas perversas ou contradições nas fotos, falhará. Estão em jogo a psicologia da infância, o capitalismo (acumulo de bens), a globalização, teorias da história, a fenomenologia da percepção, o comércio entre as artes (teatro), a fotografia encenada, cartografias.
    “Espaço é lugar com história”, diz Susanne Rau. Flávia Junqueira intervém em pontos com histórico de ações artísticas, como Minhocão (SP) e Parque Lage (RJ). Sua metateatralidade lembra ter sido assistente de
J. Serroni, autor de teatros do Brasil - do Teatro da Paz, em Belém, às joias gaúchas. Para o Farol Santander, ela preparou as fotos do Teatro de São Pedro, de Porto Alegre, e do Teatro Guarany, de Pelotas. A encenação de Flávia Junqueira nunca estaria completa sem esses monumentos do Rio Grande. 
   Dedico este texto à memória de Eva Sopher, que legou o São Pedro para o olhar sensível de Flavia Junqueira.